Equilíbrio Emocional

Os sentimentos se diferenciam uns dos outros e também de pessoa para pessoa em diversas situações. Sentem da maneira com que pensam a respeito de determinada situação.
Uma das primeiras atitudes em direção ao equilíbrio emocional é aceitar a responsabilidade pela própria vida através do comportamento e do pensamento.
Transferir a responsabilidade é se colocar na mão do outro, todas as qualidades e valores desaparecem.
À medida que assumi a responsabilidade pela maneira de como pensa e sente, e possível resgatar o poder de fazer escolhas saudáveis.
Enquanto culpar alguém ou alguma circunstância pelo que quer que tenha acontecido ou esteja acontecendo, enquanto culpar alguém por como se sente, vitimiza-se e não encontra a solução adequada.
“Eu sou responsável pelo que sinto”, no momento exato que parar de dar desculpas, de tentar justificar estará mais consciente do poder de fazer escolhas saudáveis e de criar alternativas.
É importante perceber que a responsabilidade e coragem andam lado a lado. Se temer alguma coisa, ouse dirigir-se para a situação que motiva o temor. O enfrentamento será necessário e desenvolver a coragem para confrontar a situação ou momento de preocupação. A coragem não é a ausência de medo, mas sim a sabedoria de agir apesar do medo.
Assumir a responsabilidade geralmente dói. Responsabilidade significa a habilidade de criar respostas, ter atitudes positivas e responder por elas.
A responsabilidade é tudo o que se pensa e se faz. Basta estar consciente de suas opções e ações, uma vez que a resposta e as consequências ocorrem naturalmente.
A inabilidade de lidar com sentimentos, reforça a buscar por alívio, que pode ser imediato através de um tipo de prazer tais como comer doces, compras, sexo, uso de substâncias lícitas ou ilícitas entre outras. A falsa certeza que a melhor maneira de fugir dos problemas e dos sentimentos, era fugir da realidade repetindo o comportamento cada vez mais. Alguns pensamentos podem condicionar a ação: “Usar é a única solução dos meus problemas”, que pode gerar consequências como a compulsão.
Lembre-se: A solução é encontrar um equilíbrio saudáve!
(Fábio Roberti Coelho)